19/06/2019
Notícias.

Como melhorar a utilização do Cadastro Único nos municípios

Este conteúdo relata uma iniciativa para melhorar a utilização do Cadastro Único nos municípios. A prefeitura de Bananeiras trabalhou na conscientização sobre os benefícios e direitos proporcionados pelo processo para os cidadãos

Boas práticas na utilização do Cadastro Único em Bananeiras

O que é o Cadastro Único?

O Cadastro Único é o principal instrumento que identifica e caracteriza famílias de baixa renda. Dessa forma, o governo pode conhecer melhor a realidade socioeconômica dessa população e, também, fornecer os benefícios mais adequados.

Este cadastro é utilizado por prefeituras, como a de Bananeiras, para que famílias possam se tornar elegíveis a diversos programas federais, estaduais e municipais de apoio a pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza. Essas famílias terão suporte em diversas situações, por meio de programas como:

• Bolsa Família;

• Minha Casa Minha Vida;

• Carteirinha do Idoso; entre outros.

Para receber o benefício, o cadastro dos usuários precisa ser atualizado a cada 2 dois anos. Do contrário, é excluído automaticamente do sistema nacional.

Porém, a Prefeitura de Bananeiras vive desafios como os de outros municípios espalhados pelo país. Neste caso, a utilização do CadÚnico foi repensada para entregar serviços melhores e otimizar o trabalho dos servidores públicos.

A ação foi uma iniciativa da servidora de carreira Rita de Cássia e sua equipe, após participação no Conexão Pública, um programa do CLP que ajuda gestores públicos a tirar projetos do papel, por meio de um método de resolução de problemas e da interação entre equipes.

Confira a boa prática abaixo:

Qual o desafio na utilização do Cadastro Único?

A Prefeitura de Bananeiras enfrentava o desafio de desinformação sobre o funcionamento dos benefícios do Cadastro Único. Isso gerava 3 consequências:

Perdas de benefícios (direitos) por famílias que não realizavam a atualização do cadastro;

Aumento da burocracia para a recolocação de cadastros desatualizados;

Desinformação das famílias sobre direitos e outros benefícios além do Bolsa Família.

Assim, o cenário comum em Bananeiras era um alto número de cadastros excluídos por ausência de atualização. Quando o beneficiário pedia reinclusão, era mais um tempo de espera para que toda a burocracia fosse realizada novamente. Dessa forma, a gestão viu como necessário realizar ações para modificar essa situação.

 

Como melhorar a utilização do Cadastro Único? 

Para mudar esse cenário, a Secretaria passou a focar na comunicação através de ações entre a gestão e a população. Confira o que foi realizado:

Participação da equipe do Cadastro Único em eventos, reuniões em escolas públicas, mobilizações no dia da mulher (grupo prioritário para a concessão do Bolsa Família), entre outros;

Ações intersetoriais de alinhamento de comunicação, principalmente com as Secretarias de Saúde e Educação;

Divulgação de diversos programas ofertados pelo MDS ( Ministério de Desenvolvimento Social) e de políticas públicas das esferas municipais e estaduais para a população;

Mudança na prática de atualização do cadastro por parte da prefeitura: passando a atualizar anualmente, e assim, não ficar à mercê do prazo do governo federal.

Manutenção da atualização de cadastros de famílias que não possuíam mais algum benefício, pois pode evitar a burocracia de ter que inseri-las novamente.

Atualmente, Bananeiras possui cerca de 22 mil habitantes, dos quais 4.695 famílias estão inseridas no Cadastro Único, sendo 4.222 famílias com o cadastro atualizado nos últimos dois anos e um público de 1.278 cadastros atualizados que não recebem Benefícios do Programa Bolsa Família.

A ação da Prefeitura de Bananeiras gerou uma contínua atualização cadastral de um público consciente de seus direitos além do Programa Bolsa Família. Além disso, a disseminação da informação permitiu com que fosse realizada a compreensão sobre as diferentes possibilidades de acesso a políticas públicas, serviços e programas sociais que as famílias de baixa renda podem ter acesso por meio do Cadastro Único, este sendo mantido por um trabalho efetivo de comunicação e parceria.

 

Boas práticas na utilização do Cadastro Único

O desafio do município de Bananeiras (PB) envolveu a alta desinformação sobre os benefícios às populações de baixa e extrema pobreza, fazendo com que muitos usuários perdessem o cadastro e, ao mesmo tempo, muitos não faziam parte de programas por não conhecer benefícios além do Bolsa Família.

Para reverter esse cenário, a prefeitura promoveu ações intersetoriais de participação e comunicação direta com a população, além de adotar um outro processo de atualização de cadastros, o que gera famílias com maior conhecimento sobre seus direitos e com benefícios atualizados, reduzindo os processos burocráticos da Secretaria.

Rita e sua equipe participaram do Conexão Pública. Para ela, o Conexão foi um importante espaço de reflexão e incentivo para colocar seu projeto em prática. Saiba mais sobre o Programa Conexão Pública.

Rita de Cássia é servidora de carreira do município de Bananeiras, na Paraíba. Atualmente está na coordenação do CADÚnico e Gestão do Programa Bolsa Família. É também parte da rede do CLP. 

Compartilhe esse artigo


Notícias Relacionadas

Nota técnica: O impacto da PEC Emergencial em estados e municípios

por Natália Almeida

Sumário Executivo   Em um cenário de forte desequilíbrio fiscal do setor público, as discussões sobre a PEC da Emergência Fiscal são bastante comuns. Nesta Nota Técnica analisaremos os principais…

Ler mais
coisa-publica-quais-sao-os-efeitos-da-aprovacao-da-pec-emergencial

Coisa Pública: Quais são os efeitos da aprovação da PEC Emergencial?

por Natália Almeida

  05 DE MARÇO DE 2021 DESTAQUES DA SEMANA  Pouco mais de um ano após o primeiro caso oficial de Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde confirmou a compra…

Ler mais
primeira-infancia-e-negritude-quando-o-racismo-inicia-seu-impacto-na-vida-da-pessoa-negra

Primeira infância e negritude: quando o racismo inicia seu impacto na vida da pessoa negra?

por Natália Almeida

A primeira infância é o período da vida do zero aos 6 anos de idade, no qual temos a nossa maior janela de aprendizagem. Os primeiros anos de vida são…

Ler mais

Nota técnica: O impacto da PEC Emergencial em estados e municípios

por Natália Almeida

Sumário Executivo   Em um cenário de forte desequilíbrio fiscal do setor público, as discussões sobre a PEC da Emergência Fiscal são bastante comuns. Nesta Nota Técnica analisaremos os principais…

Ler mais
coisa-publica-quais-sao-os-efeitos-da-aprovacao-da-pec-emergencial

Coisa Pública: Quais são os efeitos da aprovação da PEC Emergencial?

por Natália Almeida

  05 DE MARÇO DE 2021 DESTAQUES DA SEMANA  Pouco mais de um ano após o primeiro caso oficial de Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde confirmou a compra…

Ler mais
primeira-infancia-e-negritude-quando-o-racismo-inicia-seu-impacto-na-vida-da-pessoa-negra

Primeira infância e negritude: quando o racismo inicia seu impacto na vida da pessoa negra?

por Natália Almeida

A primeira infância é o período da vida do zero aos 6 anos de idade, no qual temos a nossa maior janela de aprendizagem. Os primeiros anos de vida são…

Ler mais

Junte-se ao CLP

Escreva seu email e receba nossa newsletter


    Siga o CLP

    Siga nossas redes sociais e fique informado