CLP – Como melhorar a arrecadação do ITBI
Notícias

Como melhorar a arrecadação do ITBI

28/03/2018 - Conheça iniciativas para o ITBI

 

Os municípios passam por um cenário de diminuição de receitas e aumento de despesas somado à insatisfação popular e à perda de confiança generalizada nas instituições públicas, exigindo maior empenho e inovação dos gestores municipais.

A gestão tributária eficiente de um município pode representar um ganho de recursos para a execução do plano de governo, atendendo às demandas da população. Dessa forma, o Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis e de Direitos a eles Relativos (ITBI) é, em média, responsável por 8% da arrecadação própria municipal. Apesar de não ser tão expressivo em recursos como o ISS e o IPTU,  desenvolver ações pontuais no ITBI podem auxiliar na geração de um ‘fôlego’ nas finanças da prefeitura.

Nesta matéria você vai encontrar:

  • Panorama geral sobre o ITBI;
  • Ações que podem melhorar arrecadação do ITBI;

 


> Descubra de onde vem o dinheiro dos municípios nesse infográfico



 

O que é o ITBI?

 

O Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis e de Direitos a eles Relativos (ITBI) é um imposto brasileiro, de competência municipal, instituído pelo Art. 156/88, no qual foi estipulado que o ITCMD (imposto sobre a transmissão causa mortis ou doação) competiria aos Estados e ao DF (art. 155, I), enquanto os municípios ficariam com o ITBI. Representa, em média, 8% de toda arrecadação das cidades.

 

 


 

 

Quem contribui?

 

O ITBI tem como fato gerador a transmissão de qualquer título, domínio ou propriedade de imóveis entre pessoas vivas. O contribuinte do imposto é qualquer das partes na operação tributada, como dispuser a lei, que, no caso, será a lei municipal. O pagamento prévio do ITBI é obrigatório para que se possa fazer o registro de um imóvel adquirido.

Quando a transmissão é por herança (causa mortis), o ITBI não é cobrado, ao invés dele, é recolhido o ITCMD (imposto estadual).

 

A base de cálculo utilizada é o valor venal do imóvel no momento de transação. A alíquota deve ser única, não pode ser progressiva, nem diferenciada. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, por exemplo, a alíquota do ITBI é de 2%.

 

 

 

 

Como melhorar a arrecadação de ITBI?

 

Abaixo, estão listadas algumas ações com foco na melhoria do ITBI:


 

1. Possuir uma planta genérica de valores para o ITBI: para a base de cálculo do ITBI, muitos municípios utilizam o próprio IPTU, porém, é interessante ter um cadastro próprio para ITBI, pois ele sofre modificações mais constantes, assim o valor pode se aproximar do custo real do imóvel;

2. Ter uma legislação clara: as determinações do ITBI são feitas pela legislação municipal, assim, indica-se que as leis sejam bem formuladas para evitar processos onerosos e confusões com o ITCMD;

3. Vistoria do imóvel: em cidades menores, é possível estabelecer um modo de fiscalização dos imóveis, verificando a devida confrontação da matrícula do Cartório de Registro de Imóveis (CRI) com a situação física.

4. Atualizar o imposto com frequência estipulada: é interessante realizar atualizações de 4 em 4 anos, através do índice inflacionário. O ITBI representa o valor do mercado, assim, deve ser um número superior ao da prefeitura.

5. Cruzar dados declarados com o cadastro do IPTU: o ITBI é uma importante fonte de informação para o mercado imobiliário e pode auxiliar na arrecadação do IPTU. As prefeituras devem manter as bases de dados atualizadas e promover cruzamento de dados, a fim de verificar possíveis divergências

6. Firmar parcerias com os Cartórios de Registro de Imóveis: É importante estabelecer convênios com o CRI e Tabelionatos para que todos os processos de inventário extrajudicial passem pelo fisco municipal.

 

Ficou interessado? Quer saber mais sobre como melhorar as arrecadações próprias dos municípios? Conheça o curso online Como Melhorar a Arrecadação do Seu Município.









 







 

 

destaques
Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira os resultados do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Lançamento do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Lançamento do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Inscreva-se e assista à transmissão online da apresentação dos dados e da posição dos estados.

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Os estados são avaliados sob a ótica de 10 pilares a partir do agrupamento de 68 indicadores.